O Governo Federal concede uma série de benefícios aos caminhoneiros para tentar evitar a paralização

A paralização dos caminhoneiros está marcada para o dia 1º de fevereiro

Foto: Nilton Cardin/Parceiro/Agência O Globo (Paralisação de 2018)

Um grupo de caminhoneiros tenta, desde o início de janeiro, mobilizar a categoria para uma paralisação nacional em 1º de fevereiro. O governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou algumas medidas para tentar evitar a greve.

As medidas são:

1 – Inclusão dos caminhoneiros no grupo que terá prioridade na vacinação contra a covid-19: Além dos caminhoneiros, terão prioridade trabalhadores da área administrativa do transporte, funcionários de companhias aéreas nacionais, de empresas metroferroviárias de passageiros e de cargas e de navegação, motoristas e cobradores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso;

2 – Suspensão do imposto de importação para pneus: Uma decisão do Camex (Comitê Executivo de Gestão da Câmara de Comércio Exterior), ligado ao Ministério da Economia, suspendeu a cobrança de taxa de importação de 16% para os pneus. O objetivo é reduzir os custos operacionais do transporte rodoviário de cargas;

3 – Reajuste da tabela do frete: Nesta semana, a ANTT (Agência Nacional dos Transportes Terrestres) publicou uma nova tabela de valores mínimos para os fretes, como reajustes que variam de 2,34% a 2,51%, conforme o tipo de carga e operação;

4 – Revisão da multa para sobrepeso: “Estamos revisando a norma de pesagem, para ela onerar menos o caminhoneiro e a gente ter menos multa em função disso”, disse o presidente;

5 – Promessa de pedágio mais barato: O ministro da Infraestrutura também prometeu fazer novas licitações de rodovias federais, o que, segundo ele, tornará as estradas melhores e os pedágios, mais baratos;

6 – Documento único e Pix: Outra medida prometida pelo ministro foi a criação de um documento único para a categoria, reunindo vários que existem hoje. De acordo com ele, o documento permitirá que o caminhoneiro faça transações utilizando o Pix, o sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central.

Por Reinaldo Valverde / SimaoDiasComoEuVejo.com.br com informações do Portal UOL

Deixe uma resposta