Polícia Civil desarticula em Lagarto associação criminosa que realizava roubos na região

Foto: Divulgação SSP/SE

A Delegacia Regional de Lagarto deu cumprimento a três prisões preventivas decretadas pela Justiça em um inquérito policial que apurou a atuação de uma associação criminosa em roubos realizados no município. Os investigados já haviam sido presos em procedimentos investigativos específicos de cada roubo praticado. Os mandados foram cumpridos na última segunda-feira, 8. 

Segundo a delegada regional Michele Araújo, a partir do compartilhamento de informações entre policiais militares do 7º Batalhão da Polícia Militar (7º BPM) e a delegacia, foi identificada a atuação de um grupo oriundo de Nossa Senhora do Socorro que estaria praticando roubos no município de Lagarto.

“Com as informações repassadas pelos colegas da Polícia Militar, nós aprofundamos as investigações e identificamos que os suspeitos de integrarem a associação criminosa se revezavam no cometimento dos roubos. Com as apurações, foram elucidados pelo menos dois roubos praticados pelo grupo, inclusive, em um deles, foi utilizada a motocicleta de um dos suspeitos, o que foi flagrado pelas câmeras de segurança próximas ao local do fato”, detalhou.

Como resultado das investigações, os três suspeitos foram presos em virtude das investigações dos roubos. As ações que culminaram nas prisões foram deflagradas com o apoio operacional de policiais civis da 7ª Delegacia Metropolitana (7ª DM) e policiais militares. Agora foi dado cumprimento a novos mandados de prisão contra os investigados, em razão da suspeita de terem constituído a associação criminosa voltada à prática de roubos em Lagarto.

“Toda a segurança pública de Lagarto opera de forma integrada para a identificação desses grupos que se organizam para, sistematicamente, praticarem crimes no município. De forma alguma eles permanecerão em atividade. A sociedade também tem sido uma parceira no combate ao crime e deve continuar colaborando por meio do Disque Denúncia (181), sempre garantido o sigilo do denunciante”, finalizou a delegada.

PUBLICIDADE

Deixe uma resposta