Prefeito cria lockdown voluntário sem remuneração para servidores da prefeitura

É fácil pedir lockdown com geladeira cheia e salário garantido

Foto: Guilherme Hahn

A prefeitura de Criciúma/SC decidiu autorizar que os servidores públicos se afastem das atividades e fiquem em casa. No entanto, para isso, terão de abrir mão do salário.

O anúncio foi feito pelo prefeito da cidade, Clésio Salvaro (PSDB), nesta última quarta-feira (17). Em vídeo publicado nas redes sociais, ele criticou as pressões que vem sofrendo por parte da imprensa e políticos da região, que cobram da administração municipal medidas restritivas mais duras para conter a disseminação da Covid-19.

“Estou assinando o decreto de lockdown na prefeitura de Criciúma — lembrando só um detalhe: lockdown sem remuneração”, declarou. “Não quer vir trabalhar? Não tem problema. Quer se cuidar? Ótimo! Pode ficar em casa, mas não receberá salário”, acrescentou.

“É muito fácil pedir lockdown com a geladeira cheia e o salário garantido”, completou Salvaro.

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Criciúma e Região (Siserp), Jucélia Vargas, afirmou que a categoria recebeu o decreto com indignação.

“Ninguém aqui falou em lockdown, que todo mundo queria ficar em casa. Ninguém quer ficar em casa no sofá comendo pipoca. Mas todos estamos amedrontados”, disse.

O texto do decreto prevê que os servidores poderão, “por questões pessoais, solicitar a licença para tratamento de interesses particulares, sem remuneração, tendo como justificativa a pandemia”.

Até as 10h desta quinta-feira (18), nenhum pedido havia sido feito. O município tem 4,1 mil funcionários públicos aptos para solicitar a licença.

Fonte: Conexão Política

PUBLICIDADE

Deixe uma resposta