Aulas remotas na Bahia começaram com um ano de atraso

Foto: Mateus Pereira/GOV/BA

Com um ano de atraso começou no mês passado (15/03), o ano letivo na Bahia, o primeiro decreto de suspensão das aulas foi assinado pelo governador em 16 de março de 2020, a suspensão que seria por 30 dias depois de sucessivas renovações durou 365 dias (01 ano).

O curioso é que a Bahia foi o único Estado entre os 27 da Federação (contando com o Distrito Federal) que não implantou nenhum tipo de ensino remoto.

Os resultados do ensino remoto país a fora não foi um dos melhores, alguns estados tiveram resultados pífios, infelizmente não temos estatísticas sobre o tema. O SDCEV conversou com professores da rede estadual de Sergipe e a participação dos alunos por lá foi algo em torno de 50 a 60% (não é uma estatística oficial é um dado com base em relatos dos professores).

A pandemia empurrou o sistema educacional para os sistema remoto e em breve para o ensino híbrido e infelizmente o governo da Bahia ignorou a educação no ano de 2020, simplesmente não aconteceu nenhuma tentativa, é claro que os resultados da educação remota de 2020, foram péssimos, mas é óbvio que é muito melhor do que ficar no zero a zero.

Há pouco menos de um mês a Secretaria de Educação da Bahia finalmente resolveu fazer uma tentativa e implantar o ensino remoto, pena que demoraram um ano pensando sem fazer tentativas e agora o ano letivo de 2020 será no modelo leve 2 e pague 1, ou seja os alunos vão estudar e valer por dois anos, como se fosse um grande supletivo.

A Secretaria de Educação informou que a carga horário anual será maior para compensar, mas é óbvio que os alunos não vão conseguir acompanhar o ritmo de uma carga horário dobrada e na prática não é certeza de que os sistema vai funcionar, porém agora eles estão no caminho certo porque estão fazendo alguma coisa em vez de ficar apenas esperando o tempo passar.

A Secretaria de Educação da Bahia está com déficit de professores o último concurso aconteceu em 2017 e os últimos aprovados foram convocados em fevereiro de 2020, mas não chegaram a tomar posse, entrou a pandemia e a contratação foi suspensa. A assessoria de comunicação da SEC informou por e-mail ao SDCEV que a nomeação só vai acontecer após o vencimento do decreto de calamidade pública que vence em 30 de junho de 2021 e que até lá os prazos de validade do concurso está congelado.

Por Reinaldo Valverde / SimaoDiasComoEuVejo.com.br

Deixe uma resposta