Aracaju inicia vacinação de crianças contra a Covid-19 neste sábado

Foto: Myke Sena/Ministério da Saúde

Aracaju inicia neste sábado (15), a vacinação das crianças, de 5 a 11 anos contra a Covid-19. O anúncio da nova etapa do calendário vacinal foi feito pelo prefeito da capital, Edvaldo Nogueira, nesta sexta-feira, através das suas redes sociais.

Segundo ele, nesta primeira fase, recebem a primeira dose o público infantil que tenha comorbidades e deficiência permanente – auditiva, visual, motora e mental.

A vacinação infantil terá início neste fim de semana, com horário diferenciado, e em três unidades básicas: Carlos Hardman (Soledade), Geraldo Magela (Orlando Dantas) e João Bezerra (Areia Branca).

Neste sábado (15), a imunização será de 13h às 18h e no domingo, 16, de 8h às 13h. Já nos dias seguintes, de 17 a 21 de janeiro, serão ofertadas oito UBS’s: Carlos Hardman (Soledade), Carlos Fernandes (Lamarão), José Machado (Santos Dumont), Joaldo Barbosa (América), Ávila Nabuco (Médici), Amélia Leite (Suissa), Geraldo Magela (Orlando Dantas), João Bezerra (Areia Branca). Nestes locais a imunização ocorrerá de 8h às 15h.

Para receber a primeira dose, o pai ou responsável deverá estar munido da carteira de vacinação da criança, documento de identificação, com foto, da criança e do responsável, comprovante de residência de Aracaju, além de um relatório médico atualizado com CID, assinado pelo médico. As crianças que fazem acompanhamento na rede municipal da capital e estão cadastradas no Prontuário Eletrônico, com a comorbidade descrita, não precisam apresentar o relatório.

A vacina contra a Covid-19 em crianças não pode ser administrada junto com outro imunizante. Neste sentido, a recomendação do Ministério da Saúde é que haja um intervalo de 15 dias para administração do imunizante. Neste grupo, das crianças de 5 a 11 anos, o intervalo entre a primeira e a segunda dose será de oito semanas.

Comorbidades e deficiências

São consideradas comorbidades as seguintes condições de saúde: diabetes mellitus; pneumopatias crônicas graves (doença pulmonar obstrutiva crônica, fibrose cística, fibroses pulmonares, pneumoconioses, displasia broncopulmonar e asma grave); hipertensão arterial resistente, hipertensão arterial estágio 3, hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo e/ou comorbidade; doenças cardiovasculares; doença cerebrovascular; imunossuprimidos; hemoglobinopatias graves; obesidade mórbida; cirrose hepática; síndrome de Down; autismo e deficiências permanentes (auditiva, visual, motora e mental).

Fonte: G1 Sergipe

» Acompanhe nossas noticias pelo Instagram e Facebook

Deixe um comentário