Não despreze os pequenos começos

O tempo todo somos tentados a olhar para o fim e desprezar o começo e a trajetória, geralmente quando vemos alguém fazendo sucesso desejamos estar no lugar da pessoa e achamos que tal pessoas chegou a tal posto por sorte, este é um senso comum.

Ninguém conquista nada de braços cruzados, as colheitas só acontecem quando anteriormente existiu uma semeadura, o acaso não gera nada, arrisco em dizer que sorte e azar não existem.

Outro problema é o desejo de conquistar instantaneamente este é um mau que devemos cortar pela raiz, o qual rodeia a vida de todo empreendedor, seja no meio artístico, esportivo ou empresarial, como diz o ditado popular: “Calma, o mundo não foi feito em um dia”. Toda semente precisa de tempo para germinar, nascer, crescer e finalmente dar frutos, o problema é que muitos entre nós arrancam a planta antes dela chegar à fase do fruto.   

 Procure saber a história de um cantor de sucesso, quantas músicas dele foram rejeitadas, em quantos clubes tal jogar famoso hoje foi dispensado no passado, pergunte a um grande empresário quantos negócios ele tentou e faliu até conseguir o que ele tem hoje? Essas perguntas precisam ser analisadas por quem está começando.

Diante disso deixo uma palavra do homem mais sábio que já existiu, Salomão no livro bíblico de sua autoria, o Eclesiastes ele diz: “Melhor é o fim das coisas do que o princípio delas…”, o profeta Zacarias também diz: “Por que, pois, desprezar esses humildes começos?” 

O dito popular entre os empreendedores é “comece pequeno, sonhe grande”, o importante é fazer as tentativas, não se conquista apenas no campo da imaginação, os sonhos e os planos precisam sair do campo abstrato e se tornarem realidade. O sábio Salomão em mais um conselho no livro de Eclesiastes diz: Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque na sepultura, para onde tu vais, não há obra nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma”.

 Não importa o tamanho do seu começo, o importante é dar o pontapé inicial, quem imaginaria que uma pequena mercearia num pequeno povoado do interior de Sergipe se transformaria no Bompreço, (maior rede de supermercados do Nordeste), este foi o pequeno começo de Pedro Pães Mendonça.

 Quem imaginaria que um desmonte de dois caminhões particulares para revenda das peças depois de um acidente se tornaria na JR Diesel (maior empresa de peças reciclável para caminhões e ônibus da América Latina) essa é a história de Geraldo Rufino.

Atrás dessas histórias existem outras milhares com caraterísticas similares, e a próxima poderá ser a sua, comece o seu “pequeno começo”.

Por Reinaldo Valverde Pereira, Licenciado em História é professor na Rede Estadual da Bahia e Sergipe.  

» Acompanhe nossas noticias pelo Instagram e Facebook

Deixe um comentário